terça-feira, 29 de setembro de 2015

E AINDA DIZEM QUE A LEI É DURA...




Em visita a um casal que está passando pelas maiores agruras, diante do fato de um deles ter sido considerado apto ao trabalho pela junta médica do INSS, pode-se sentir toda força do drama ali vivido. Enquanto ele é liberado para trabalhar – outro médico o diz necessitado de uma prótese num dos joelhos e o seu trabalho exige carregar peso – a esposa continua encostada: sofre de outro mal e os remédios que tem tomado são muito caros, pelo que precisa da compaixão humana que certamente não lhe tem faltado. Neste país, medicamentos capazes de minimizar os males, sem se ter certeza de continuar a vida,  também são inacessíveis a pobres e aos miseráveis nem se fale!

Enquanto o casal vai sofrendo e vivendo graças à benevolência de pessoas realmente cristãs, sob a vergonha de ser ajudado e dever na praça e o próprio aluguel da casa que lhe foi pedida pelo proprietário, completamente sacrificado pela frieza e dureza da legislação brasileira, assisto estupefato à flexibilização da lei para não se recolher à penitenciária, uma ex-prefeita que de forma inequívoca lançou mão de milhões de reais dos cofres da prefeitura sob sua administração, e no usufruto do luxo se deixava fotografar para exibir a sua imagem de bela. E nem precisa mais se dizer que era fugitiva até se entregar – ré confessa?

Ela passou a noite presa nas dependências internas do quartel de um Corpo de Bombeiros.

Pois é, diante disso e de tantos outros acontecimentos de antes e de agora, cabe saber se realmente a lei é dura, e em sendo deve ser aplicada apenas e tão somente sobre os mais pobres.