quarta-feira, 30 de março de 2016

ASSENTADA PARAIBANA É DESTAQUE COM CRIAÇÃO DE GALINHAS USANDO REMÉDIOS E ALIMENTOS NATURAIS





A criação de galinhas nativas é uma das principais atividades para complemento da renda familiar no assentamento Vitória, em Campina Grande, a 121 quilômetros da capital João Pessoa. Um dos exemplos é a agricultora Elizabeth Bento de Souza, de 62 anos de idade. Só ela cria 150 galinhas, utilizando remédios e alimentação naturais e consegue vender 960 ovos por mês.

As galinhas de capoeira das raças pedrês, gogo de sola e pé de pena são criadas em sistema semiconfinado. Em 2013, dona Elizabeth obteve recursos do Plano Brasil Sem Miséria, que possibilitou aumentar a criação. Com o recurso, ela também adquiriu telas para cercar uma área ao redor da casa, para deixar as galinhas mais protegidas dos predadores. 


REMÉDIOS E ALIMENTOS NATURAIS. Dona Elizabeth informou que as galinhas são criadas sem o uso de produtos químicos. A prevenção de doenças é feita com receitas naturais, a exemplo da casca de angico, que a agricultora sempre coloca na água que as galinhas bebem, para prevenção contra gripe e febre. A alimentação também é natural. As galinhas comem bredo, capim e milho produzido no lote, sem uso de agrotóxicos.

Além de consumir parte da produção de ovos e vender 80 dúzias por mês, Elizabeth também reserva os ovos maiores para fazer a reprodução. “Todo mês eu separo oito galinhas e coloco para chocar com treze ovos cada. Faço isso sempre quando a lua está cheia, pois é a melhor época”, explica a agricultora. Outra estratégia da agricultora é vender as galinhas mais velhas e os frangos, fazendo assim uma seleção com as melhores aves para a reprodução e produção de ovos.


A criação de galinha de capoeira da assentada vem sendo acompanhada pela assistência técnica da Cooperativa de Trabalho Múltiplo de Apoio às Organizações de Autopromoção (Coonap), contratada pelo Incra/PB para prestar assistência aos assentamentos.
Da Assessoria de Comunicação Social – Incra-PB