domingo, 25 de março de 2018

AUGUSTO: MISSÃO CUMPRIDA PLENAMENTE



Aqui, um álbum de família mostra um fato muito raro na sociedade atual: o valor e a importância da união entre homem e mulher, que um dia se enamoraram e resolveram amar e constituir família perante Deus e a sociedade. E por coincidência, é o registro da celebração dos 52 anos de vida entre Augusto Félix – chamado hoje à presença de Deus – e dona Severina Guilherme. Ouso crer que a esta altura ela já o recebeu e reviverão ali o amor iniciado aqui, sob as bênçãos do Pai.
“Por isso o homem deixa a casa de seu pai, se une a sua mulher e se tornam uma só carne” (Gn 2, 24). Viveu Augusto esse versículo intensamente, não há como discutir, pois, a foto de família mostra isso e muito mais, quando se apreciar, também o versículo “O que Deus uniu o homem não separe” (Mc 10,2-16).
Não se poderá fugir, jamais, à vontade do Criador e todos a quem deu a vida neste planeta, haverão de ser convocados no momento exato à sua presença, conforme determinou desde que foi desobedecido.
Augusto Félix foi um exemplo de cidadão à sociedade em que viveu e na sua simplicidade cotidiana, distribuiu sorrisos, gentilezas e solidariedade a quem conhecia ou lhe estendia a mão, sedenta de afago e de amor, apenas. Evoluiu enquanto viveu entre os homens. Certamente, cresceu aos olhos daqueles a quem serviu, sem pretensões outras.
Como homem e pai de família, se fez Igreja e serviu a Jesus da forma que podia e dentro dos seus conhecimentos, sem reclamar de nada e se dando por inteiro à causa Divina. Era um grande católico.
Queixas e mágoas, quem dele as ouviu? Se fazia completo a quem o conheceu, voltando-se sempre e totalmente ao convívio social e cristão, para com os que amou incondicionalmente em família e em sociedade.
Deus o haja acolhido, Augusto Félix.