terça-feira, 6 de dezembro de 2016

“QUEM É O PRESIDENTE DO SENADO AGORA?” QUESTIONA LINDBERGH




O líder da oposição no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), se posicionou contrariamente ao posicionamento da Mesa Diretora do Senado de aguardar decisão do pleno do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) do cargo de presidente do Congresso Nacional.
"Achei a decisão da Mesa Diretora estranha. Afinal, quem é o presidente do Senado agora? No meu entendimento, é o senador Jorge Viana", disse o senador. Para ele, posicionamento da Mesa criou confusão e o mais adequado era que Renan recorresse ao STF.
Como líder da oposição, Lindbergh pede ainda que todas as sessões de votação do Senado sejam suspensas até que se defina claramente quem está na presidência do Senado Federal. "Inclusive a votação da PEC do Teto", afirmou.
A sessão desta terça-feira, 6, já foi cancelada, o que acaba atrasando o calendário da proposta. Para que a votação seja mantida no dia 13, os senadores terão de fazer uma sessão extraordinária em um dia livre para contar prazo. Com informações do Estadão Conteúdo. Fonte: Notícias ao Minuto.

SESSÃO É CANCELADA, E PRAZO PARA VOTAR A PEC DO TETO PODE ATRASAR




A sessão plenária do Senado, que estava marcada para esta terça-feira, 6, foi cancelada devido à determinação de afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por liminar do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). O cancelamento da sessão deixa de contar prazo para a PEC do Teto, o que pode acabar atrasando a votação marcada para a próxima terça-feira, 13.
A determinação foi feita pelo senador Jorge Viana (PT-AC), vice-presidente do Senado. Agora, para não atrasar a votação da PEC, os senadores terão de abrir outra sessão extraordinária em algum dia livre, como na sexta-feira, por exemplo.
Para a sessão desta terça-feira estava prevista a votação do projeto que atualiza a lei de abuso de autoridade. Com o cancelamento, o projeto não poderá ser apreciado. Com informações do Estadão Conteúdo. Fonte: Notícias ao Minuto.

SENADO DESAFIA SUPREMO E MANTÉM RENAN NA PRESIDÊNCIA DA CASA




A Mesa Diretora do Senado decidiu nesta terça (6) desafiar a determinação do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, e recusou-se a afastar da presidência da Casa o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), conforme decidido em caráter liminar.
O Senado encaminhou ao STF uma decisão da Mesa em que informa que  sso Nacional.
O afastamento foi decidido monocraticamente por Marco Aurélio. Os demais ministros só vão apreciar o caso nesta quarta-feira (7).
A Mesa decidiu ainda conceder prazo regimental para que Renan apresente sua defesa.
O oficial de Justiça deixou a presidência do Senado às 15h06 afirmando que Renan não assinou a notificação.
Em tese, o ministro Marco Aurélio pode mandar prender Renan com base no artigo 330 do Código Penal por desobediência a ordem judicial. A pena é de 15 dias
a seis meses, além de multa.
O vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), disse à Folha que não será convocada sessão extraordinária na Casa para discutir a situação de Renan. Fonte: Notícias ao Minuto.
OPINIÃO DO BLOG: Que situação o Brasil está vivendo desde o impedimento da Dilma Rousseff pelo Congresso Nacional. A história brasileira não tem registros idênticos, segundo historiadores e analistas políticos mais experientes. Se por um lado o atual presidente Michel Temer aqui e acolá tem seu nome envolvido em denúncias de que recebeu propina para financiamento de campanha dele e Dilma, também tem nomeado ministros que volta e meia aparecem como suspeitos de recebimento de propina e/ou outras coisas mais.
Além disso tudo, presidentes de instituições como Câmara dos Deputados e do Senado, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, respectivamente, desde muito têm seus nomes comprometidos em apuração de delação de esquemas de corrupção, enquanto o próprio Eduardo Cunha perdeu o mandato de deputado federal e se acha preso em Curitiba por manter contas secretas na Suíça.
Agora, como se não bastasse, ministros do STF estão vivendo momentos de turras e se desentendendo o que assusta cada vez mais a sociedade brasileira.
O que será deste povo com tantos desacordos enquanto fica sem entender direito quem manda realmente aonde, quando e por quê?

JUIZ DETERMINA PRISÃO PREVENTIVA DE MULHER DE SÉRGIO CABRAL




Nesta terça-feira (6), o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, determinou a prisão preventiva da advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral, que está preso.
Segundo informações da Veja, ela é investigada pela Operação Calicute, que aponta que o grupo liderado pelo peemedebista teria desviado R$ 224 milhões de contratos públicos do estado do Rio com empreiteiras como Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia e Delta.
De acordo com os investigadores, Adriana Ancelmo teria atuado, por meio de seu escritório de advocacia, na lavagem do dinheiro destinado a Cabral. Fonte: Notícias ao Minuto.

ZORRA SE AMPLIA E GILMAR DEFENDE IMPEACHMENT DE MARCO AURÉLIO MELLO




247 – Na República Bananeira do Brasil, onde as leis deixaram de valer quando as forças conservadoras se uniram para afastar uma presidente eleita sem crime de responsabilidade,  o caos agora é total.
Nesta terça-feira, o ministro Gilmar Mendes defendeu nada menos que o impeachment do seu colega Marco Aurélio Mello, o motivo: Mello afastou por liminar o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).
"No Nordeste se diz que não se corre atrás de doido porque não se sabe para onde ele vai", disse ainda Gilmar.
A queda de Renan coloca em xeque o projeto golpista, uma vez que o senador alagoano vinha colocando em pauta as medidas defendidas pela aliança PMDB-PSDB, como o teto de gastos e a reforma da Previdência.
O sucessor de Renan, Jorge Viana (PT-AC), já disse que não pretende levar adiante a PEC 55, que congela gastos por vinte anos. Fonte: Brasil 247.