quarta-feira, 9 de março de 2016

AÉCIO APARECE NA SUPOSTA DELAÇÃO DE DELCÍDIO




247 – O líder da oposição golpista, senador Aécio Neves (PSDB-MG), já citado por vários delatores da Lava Jato, como o doleiro Alberto Yousseff e o transportador de valores Carlos Alexandre Rocha, o Ceará, como responsável por um esquema de propinas em Furnas e também como o 'mais chato' cobrador de recursos da UTC, aparece em mais uma suposta delação: a do senador Delcídio Amaral (PT-MS).

Na semana passada, quando trechos atribuídos à hipotética colaboração judicial de Delcídio vazaram, Aécio mobilizou suas tropas para decretar o fim do governo da presidente Dilma e tentar acelerar o golpe.

Agora, o presidente nacional do PSDB afirma que a suposta delação, não reconhecida por Delcídio, só será anexada ao pedido de impeachment se vier a ser homologada. O trecho sobre o senador tucano diz respeito a sua atuação numa Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que permanece em sigilo. Questionado sobre as supostas declarações de Delcídio, disse que não iria comentar pela falta de "informação concreta".

Dias atrás, o MP arquivou uma acusação contra Aécio sem ouvir a principal testemunha.

O advogado de Delcidio, Antonio Figueiredo Basto, diz que estão sendo divulgados documentos falsos: “Nego o conteúdo e a origem da delação. Estão divulgando documentos falsos, de origem desconhecida e manipularora”. Fonte: Brasil 247.

OPINIÃO DO BLOG: O senador Aécio Neves tem frequentado as páginas da imprensa brasileira e até internacional, há anos, e sempre o assunto é referente a corrupção, principalmente na questão de Furnas e da UTC. Entretanto, realmente não se tem visto até este momento essas denúncias serem apuradas e os seus resultados dados a conhecer à sociedade. Fica tudo no silêncio e isso parece ser muito estranho mesmo.
          Além de denúncias desse quilate – Furnas e UTC –, também há histórias que o relacionam  à má aplicação de recursos públicos na construção de um aeroporto no seu Estado. Em que ficou isso? A sociedade precisa de esclarecimentos.
        O tempo vai passando e as denúncias contra o senador sempre surgem e até se acumulam com ampla divulgação pela grande mídia, e ultimamente se diz que um processo seu foi arquivado sem nem se ter ouvido testemunha. Por que dois pesos e duas medidas? Por que uns são investigados e outros não?
          É preciso passar o país a limpo ainda que os envolvidos em escândalos sejam do governo, da aristocracia, da alta sociedade, das classes políticas pequenas e grandes, etc. Não há que se escolher momento e nem nomes, não. A continuar se procedendo assim, sem respostas convincentes e muito claras à sociedade, utilizando-se verdadeira isenção, corre-se o risco de passar a limpo apenas uma parte do rascunho ou aquela que interesse a um grupo político e ideológico, o que não interessa à democracia, à cidadania e à moralidade pública.